terça-feira, 18 de março de 2008

Duas setas pelo caminho


O PSD mudou de símbolo e muitos não estão contentes. A reestruturação do PSD levada a cabo pela actual direcção do partido, passou pela alteração do seu símbolo e impõe uma nova imagem ao partido. Um fundo azul, duas setas que ficaram para trás e algumas susceptibilidades feridas.

Pacheco Pereira fala na descaracterização do símbolo (e já agora do partido), Miguel Veiga (um dos fundadores do PSD) afirmou que a imagem “parece um anúncio de uma gasolineira” e Alberto João Jardim com a sua habitual eloquência disse: “É uma patetice. Estão doidos.” “Aqui, os símbolos serão as bandeiras habituais e se aparecer uma bandeira azul vai servir para outra coisa qualquer”.

Toda esta nova imagem tem um duplo significado, tratando-se de uma tomada de posição. O partido que quer “Mudar Portugal”, tem como líder alguém que quer “Mudar o PSD”.
Este refresh do símbolo não deixa de ser esteticamente agradável e se é ou não positivo, depende de quem olha… Este embelezamento foi feito em detrimento da carga simbólica que a anterior imagem possuía. As três setas (preta, vermelha e branca) eram referentes aos valores fundamentais da social-democracia, a liberdade, a igualdade e a solidariedade. A cor de fundo também é um factor a ter em conta, visto que o laranja era algo que estava previsto estatutariamente. Já para não falar no peso que a denominação “laranjinhas”, tinha vindo a ganhar (mas os “azulitos” também é giro).

A nível interno já vimos que as discordâncias abundam e esta mudança serve para reforçar o braço de ferro… Tivesse sido diferente o líder, duvido que a contestação a esta medida fosse assim tão grande. Então e a nível externo? Quais serão as repercussões que o novo símbolo terá na psique dos eleitores? Ao contrário do que tem sido levado a crer pela maioria das opiniões sobre o assunto, esta parece-me ser uma alteração positiva para este partido (fique claro que refiro-me à imagem). A simbologia é muito bonita, a tradição e o percurso são importantes, mas mudar o visual tem efeitos positivos. Ainda que a nível subconsciente, isto acaba por ter impacto nas pessoas. Uma imagem fala mais que mil palavras. Bem, a ideia é essa… Não quero com isto dizer que cada líder, cada símbolo é uma boa politica partidária, até porque isso provocaria a indiferença perante a alteração. Todavia desta vez o timing foi bem escolhido. No que toca ao símbolo, parece-me que produzirá efeitos positivos sobre os eleitores. Não menosprezando a maior importância de outros factores que não vêm ao caso.

Sustentar a ideia da “vaca sagrada” do símbolo, não é de todo uma medida inteligente. Até porque a ideologia não depende da face do partido, depende sim das premissas pelas quais são apoiadas as orientações politicas. Pôr setas, balões ou esquilos, não altera a substância.
O símbolo deveria ser encarado, mais como um instrumento ao dispor do partido do que algo que o define. E não tanto com o peso que teria, por exemplo, uma bandeira nacional. Pois quer queiram quer não, em termos de disputa eleitoral, mais vale uma estética na mão do que dois simbolismos a voar. Entendam como quiserem…

1 comentário:

Ana disse...

A mudança do simbolo do maior partido da oposição(quando esta é feita...) já faz parte da estratégia inteligentemente deliniada pelo Dr. Luis Filipe Menezes para ganhar as próximas eleições legislativas.
Em primeiro lugar muda o partido para posteriormente mudar o pais.
Quero relevar que todas as decisões tomadas pelo lider do partido não têm o apoio das bases, ou das ditas elites do partido.
Estou convicta que este lider vai ganhar as próximas legislativas com ou sem apoio dos demais.Deste modo vamos deixar de nos "reger" por conservadorismos da treta.