terça-feira, 16 de março de 2010

Inês Medeiros deputada maravilha


A deputada do PS, Inês Medeiros, anda com problemas na Assembleia. As facturas dos vários bilhetes de avião acumulam-se, e continuam à espera que alguém as vá pagar.

O problema é que Inês Medeiros eleita pelo circulo eleitoral de Lisboa. [nº 3 da lista] vive em Paris, e como não foi eleita pela Europa, não tem direito a uma viagem de avião de ida e volta [1ª classe / agora sem desdobramentos] com despesas de deslocação [e passaria a receber por dia uma ajuda de custo de 69€ ao invés dos 23,05€].

O Conselho de Administração da AR não quer decidir [só o PS é que quer pagar], e passou a bola aos líderes parlamentares.

Entretanto numa entrevista à Sábado:


A deputada eleita por Lisboa que vive em Paris, mas na altura deu como morada uma freguesia de Lisboa, agora quer o mesmo “tipo de atitude”. Pois com certeza. Mude-se para a tal freguesia em Lisboa. Problema resolvido.

Ainda na entrevista [nota: a foto mostra bem como correu a entrevista]:
  
O Primeiro-ministro sabia do negócio?
“Acredito que não sabia do detalhe do negócio. A doutora Manuela Ferreira Leite também diz que sabia do negócio…” [muito pertinente]

O PM mentiu ou não mentiu ao parlamento?
“Não sei dizer… não sei responder a isso… Olhe, não sei se mentiu ou se não mentiu, mas se mentiu nem acho que seja assim muito grave….”


Grave? O PM mentir na Assembleia? Que exagero… Inês Medeiros mais uma deputada maravilha.

3 comentários:

Anónimo disse...

Fique o Sr. Sabendo que:
A entrevista na sábado o vídeo que viu foi devidamente cortado e alinhado para denegrir a imagem da deputada.
Apesar a entrevista impressa estar mais completa também não tem tudo o que ela disse.
Sabia que a deputada Inês de Medeiros nunca deu morada nenhuma de Santa Catarina mas sim de paris?
Sabia que a deputada apesar de não saber se vai ter de pagar os bilhetes de avião que tanto falam, ela recebe os bilhetes de avião já impressos e que todos os outros deputados de todos os partidos (eleitos pela Europa e ilhas), recebem o valor em dinheiro para comprarem o bilhete? E passam meses que não vão a casa?
Sabia que há um deputado eleito por castelo branco e deu uma morada na madeira para receber o dinheiro das viagens?
Sabia que os jornalistas sabem de tudo isto e não divulgam nada?
Já pensaram se isto tudo não é apenas uma campanha para liquidar uma deputada fora do sistema?

Miguel Ferreira disse...

Caro anónimo:
Quanto ao vídeo na Sábado:
Não duvido que a entrevista tenha sido cortada e ou “alinhada”, como diz, até porque por via de regra é isso que acontece em muitas entrevistas. O que não vou discutir com certeza é a intenção dos jornalistas, isso é para uns saberem e outros especularem… enfim. De qualquer maneira, por muitos cortes que possam haver, isso não elimina:

“Acho que o correcto é o parlamento ter comigo o mesmo tipo de atitude que tem com os outros deputados(…) se quiserem podem pagar até Badajoz.” ?!

“Acredito que não sabia do detalhe do negócio. A doutora Manuela Ferreira Leite também diz que sabia do negócio…” ?!?

“Não sei dizer… não sei responder a isso… Olhe, não sei se mentiu ou se não mentiu, mas se mentiu nem acho que seja assim muito grave….” ?!?!?

Acrescente o que entender, mas a questão moral não deixa de “começar em Badajoz” e terminar com a pouca gravidade de uma mentira do PM… na AR…


Quanto à morada de Santa Catarina:

Compreenda que essa é a informação que estava disponível nos jornais portugueses. Mentira ou não? Não sei. Não obstante, até confirmação em contrário opto por preferir a informação que me chega via media, à que me chega via comentário anónimo.

Quanto aos bilhetes de avião, deputados eleitos pela Europa e Ilhas, e o caso do deputado de Castelo Branco:

Não sei se os jornalistas sabem ou não, ou se ocultam ou não essa informação. Mas para alguém tão bem informado e tão indignado, o anónimo deveria também tentar divulgar essa informação, pois a ser verdade merece divulgação. O que não convém é fazê-lo sob o anonimato. Convido-o a escrever um post no Politikae sobre esse assunto. Poderá enviar um e-mail para aconvidado@gmail.com [admitimos comentários anónimos, porém os posts têm de ser assinados]

Quanto à campanha para liquidar uma deputada fora do sistema:

Por via de regra, tendo a não enveredar por teorias de conspiração e/ou estratégias de vitimização. Acredito que situações como estas são mais filhas da oportunidade, do que de “perseguições“.

Dr.Shue disse...

Mas o que é que isso interessa?

É bem gira... apresentemos antes uma moção para correr com os velhos jarretas! :P