terça-feira, 23 de setembro de 2008

É muita filosofia, este Jardim




O único problema que encontro é que podemos chamar o Sol de Chouriço, sem que ele deixe de ser o Sol.
Mais ou menos como o Casamento entre pessoas de sexo diferente, que mesmo que o chamemos de Rabanete ele não deixa de ser um Casamento.

2 comentários:

Anónimo disse...

Este tema não tem nada de complicado no entanto para muitas pessoas acaba por ser "um bicho de 7 cabeças". A palavra casamento não tem que ter uma unica definição se bem que esta palavra "definição" tambem não tem qualquer sentido neste contexto visto este estar relacionado com sentimentos. No entanto para muitas pessoas este tem como definição unica e irrefutável uma união legítima entre homem e mulher, pelos vistos ja temos pessoas devidamente especializadas para criar valores/normas consoante cada pessoa. Era bom que para muitos sabedores esta ideia de não, não conhecemos na totalidade o outro se iluminasse nas suas mentes sábias.

Rita disse...

A palavra casamento vem de "casa". Ponto final... e desde os primórdios que denomina a união de duas pessoas que vivem debaixo do mesmo tecto... Já desde o Antigo Egipto e da Roma Antiga... Portanto, se duas pessoas do mesmo sexo fazem isso (independemente se podem ter filhos entre si, tal como casais heterossexuais estéreis não podem e ainda assim casam-se) também estão a casar-se quando decidem viver juntas. Só falta o estado quebrar a desigualdade legal e que, portanto, isso seja reconhecido também na lei, se assim desejarem.