quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Deputados ou fantoches políticos

"A direcção do grupo parlamentar social-democrata vai hoje comunicar aos deputados do PSD que a posição oficial do partido é contra os casamentos entre homossexuais e que haverá liberdade de voto em relação a esta matéria." Público

Com ou sem procriação em mente, no PSD a liberdade de voto é assegurada.


A direcção da bancada do PS deverá conseguir impor amanhã a disciplina de voto contra os projectos do Bloco de Esquerda e de "Os Verdes" sobre casamentos homossexuais, mas a contestação centra-se agora também universo das excepções admitidas ao voto geral.” Público

Sócrates já frisou “que a questão dos casamentos dos homossexuais não está na agenda dos socialistas…” [com um olho no programa e outro nas eleições]. Como nesta e noutras questões, “há uma articulação estreita entre a direcção do partido e a direcção do Grupo Parlamentar do PS" [leia-se, nós mandamos e vocês não piam], vai haver disciplina de voto, apesar das vozes dissonantes.
Para não ter que falar no ridículo que é esta luta pela excepção à disciplina de voto, provocada pela restrição oportunista da liberdade de voto, por parte do PS, prefiro relevar isto:
"Não votaremos contra o casamento entre homossexuais, mas contra o oportunismo político do Bloco de Esquerda.”

E para isto temos deputados…